Cineart BH

31 de ago de 2018

Objeto de desejo


´´Os homens passam. O diamante fica.´´










Os casamentos não são mais antigamente, é verdade. Mas as mulheres... ah ... elas continuam as mesmas!
O anel de compromisso, aquele aro pequenino encrustado por uma pedrinha brilhante ainda é o sonho de consumo da grande maioria do sexo feminino.












































































Azul e branco


Chic.



Ai Weiwei

Ai Weiwei está na minha lista de artistas preferidos.
Nem tanto pela sua obra. Não sou uma admiradora da arte contemporânea, prefiro o que eu consigo entender. Não gosto de arte que precisa de manual de instrução ou bula. Arte contemporânea, com algumas exceções, precisa das duas coisas e ainda de um guia! Enfim, gosto de Weiwei pela sua biografia. Pela sua coragem em enfrentar um regime ditatorial cruel, pelo esforço em  levar sua arte através das Grandes Muralhas sufocantes, pela insistência em dar voz a quem teve a garganta cortada. Prefiro sempre os rebeldes e revolucionários aos apáticos, convencionais e conformados.
Em outubro, Weiwei ganha uma extraordinária exposição em SP. As peças estão sendo produzidas em atelies no Brasil. São abacaxis, fruta do conde, dendê, que farão parte da mostra do chinês. Atelies de cerâmicas em Cotia, Juazeiro e São Caetano do Sul estão produzindo as ideias loucas do talentoso artista. Os pais de Weiwei o trouxeram ainda garoto ao Brasil para conhecer Jorge Amado. A paixão pelo país vem daí. Sua exposição carrega parte dessa admiração.
Dia 20, na Oca. Simplesmente imperdível.













28 de ago de 2018

O que você prefere?


O que você prefere, amar menos e sofrer menos ou amar mais e sofrer mais?
Para mim, esta é a única e verdadeira questão. Você pode observar corretamente que não se trata de uma pergunta de verdade. Porque não temos escolha. Se tivéssemos escolha, então existiria uma pergunta. Mas não temos. Então, não existe pergunta. Quem pode controlar o quanto ama? Se você consegue controlar, eu te digo: não é amor. Não sei que nome dar a isso, mas não é amor.
É assim que começa o livro do mês do nosso Clube. Com essa pergunta aparentemente simples, mas tão complexa se pararmos para pensar.
A Única História de Julian Barnes, conta o romance conturbado entre um jovem de 19 anos e uma mulher de 52, nos anos 60, época em que a ao mesmo tempo que a liberdade sexual entrava na sociedade pela porta da frente, os costumes moralistas ainda reinavam nas salas e nos quartos.

Até que ponto vivemos uma vida de ´´sofrer menos´´, por conveniência? E amar mais é mesmo crucial? Não podemos simplesmente viver uma vida morna? Sem tanto amor, mas também sem tanto sofrimento? Será, meu Deus, que não pode existir um grande amor com final feliz? Sem sofrimento, senhor Barnes???
Na noite fria de agosto, chegamos a conclusão que ... ninguém sabe a resposta. Cada uma de nós tinha uma Única História para contar. E outras ainda estava escrevendo a sua.
Meu Clube do Livro.... amo vocês. São vocês que sacodem a poeira de uma vida morna. Por vocês eu amo mais e sofro menos!

























Claudia!!!!


La Schiffer, lindona!


27 de ago de 2018

Get the Look


É namoro ou amizade



Geraldo Alckmim quer Flávio Rocha, o dono da Riachuelo que desistiu do Planalto, a seu lado nos palanques.
Rocha fez algumas exigências para se juntar ao tucano.
Alckim ficou de pensar se aceita ou não. 


´´Vem cá, Flavinho!´´


Piaçava domada



Frizz!
Tem coisa que incomoda mais do que o cabelo parecendo uma vassoura de piaçava?






Para algumas mulheres a palavra frizz nem faz parte do vocabulário. Para outras, vem na primeira página e em letras maiúsculas!
Para este segundo time, no qual me encaixo, existem produtinhos especias. A vogue fez uma lista com algumas sugestões. Do mais baratino, mas nem por isso pior, ao mais caro.






















26 de ago de 2018

25 de ago de 2018

O Véu Erguido


Mary Ann Evans começou a escrever em 1944. Sendo mulher, da aristocracia e nascida em 1820, era-lhe praticamente negado o direito de ter um romance publicado.

Inteligente, Mary Ann conseguiu burlar a sociedade conservadora, escrevendo sob o pseudônimo de George Eliot. Uma forma de ver publicado seus livros, homenagear os seu grande amor e preservar sua conturbada vida pessoal. Naquela época, além de escritora, Evans mantinha um tórrido romance com um homem casado, com quem viveu por mais de 20 anos.

O Véu Erguido é um de seus livros mais cultuados hoje em dia. Conta a história de Latimer,
um jovem de  natureza sensível e pouco prática, dono de uma beleza feminina. Latimer é o filho mais novo de um banqueiro e vive à sombra do irmão mais velho, o exuberante Alfred. Aos 16 anos é mandado para Genebra para completar sua educação, que fazia parte de um roteiro pré-determinado da vida de rico que levaria, com o irmão no comando dos negócios. Só que Latimer adoece,a estadia na Suíça é interrompida, e sua vida sofre uma reviravolta quando, convalescendo, ele começa a ter visões do futuro.
Mary Ann Evans também escreveu o clássico A Vida Era Assim em MidleMarch, considerados um dos maiores romances de todos os tempos. Eu não li, mas está na minha lista.
Virgínia Wolff, fã de Evans, disse que gostaria de ´´escrever como ela´´.  









Clássicos


Vou ter que esperar...


Engana-se que acha que Luciano Huck desistiu da política.
O marido de Angélica, que não é bobo nem nada, percebeu que seu nome estava diretamente ligado a nomes enlameados do PSDB, empresários condenados e amigos investigados. Tipo ´´diga-me com quem andas e te direis se voto em você´´...
Huck só adiou os planos de se sentar na cadeira da presidência para 2022.
Ah, sim, ele não pretende trilhar nenhum atalho, passando pela prefeitura, câmara ou senado. Não.
O homem do caldeirão quer subir de uma vez, a rampa do Planalto.



``Só em 2022?´´


24 de ago de 2018

Te cuida, Kim!!!!!!!!!!!

Das duas, uma: ou J Lo ficou sem espelho ou despediu a personal stylist.
Ou, uma terceira possibilidade, bateu a cabeça no meio fio.
Só pode.
Que outra explicação haveria para esse assombro que foi seu look no red carpet de quarta???
Da roupa, ao cabelo, passando pelos acessórios, o sapato de plástico, até o cinto e o óculos!

Nem Kim Kardashian faria igual...







Terça


Miguel e Rachel Naves convidaram grupo de decoradores e arquitetos para conhecerem a nova coleção da Nuhaus.
Loja linda, cheia de peças diferenciadas. Almoço thai delicioso, boas companhias e mimos delicados para as convidadas!
Miguelzinho sabe receber como ninguém!

























Igrejas e igrejas

A Igreja Universal do Reino de Deus tenta de todas as maneiras conseguir isenção fiscal para importar equipamentos de TV .  São vários tipos de equipamentos de tecnologia, câmeras de estúdio, câmeras de captação, monitores, softwares e ilhas de edição. O valor do imposto a ser pago é de 5 milhões de reais, segundo a Folha.
O governo paulista alega que sendo dona de uma emissora de TV, a Igreja Universal não se enquadra na lei de isenção, afinal ela não está importando todos esses equipamentos para um culto. Já a Universal alega que vai usar tudo isso para: ´´alcançar o maior número de pessoas sofridas e propagar o Evangelho´´. Ah, sei. Assunto espinhoso esse, não?! Alias, essa lei de isenção para igrejas e ONGs precisa ser realmente ser discutida. Isenção fiscal para ´´propagar o Evangelho´´ é mais ou menos fazer caridade com o chapéu alheio, porque se eu não ligo a mínima para o Evangelho e quero escolas funcionando, ruas iluminadas e esgotos, não é correto que igrejas tenham isenção fiscal.
Porque empresas, industrias, comercio e o cidadão comum tem que pagar seus impostos e igrejas não pagam? Porque ´´propagar o Evangelho´´ é tão mais importante que infra-estrutura, segurança e saúde? Quando falo de igreja me refiro a uma construção de alvenaria, adornada de acordo com o poder aquisitivo de sua comunidade, os valores morais de seus sacerdotes e a vaidade de seus frequentadores. Incluem-se aí evangélicas, batistas, católicas. Afinal, vamos combinar que existem igrejas e igrejas. Existem padres e padres. Existem pastores e pastores. Se é que vocês me entendem...
Enfim, é um assunto delicado mas que precisa sim, ser discutido. Afinal são milhares e milhares e milhares de reais que o estado deixa de arrecadar com as tais isenções. Lembrando que o estado somos eu e você. Estado é o povo. Quando o estado dá isenção, somos eu e você que pagamos dobrado. E vocês? O que acham?

Get the Look

 Gypsy Queen




23 de ago de 2018

Grande


Sou leitora da Folha de São Paulo há mais de 25 anos.
Ela é minha companhia diária no café da manhã e com a versão digital no celular, ao longo do dia abro suas ´´páginas´´ várias vezes
. Além da Folha, assino o Globo e o Estadão. Nenhum se compara ao jornalismo sério que a Folha faz.
 Considero a Folha o melhor, mais moderno e mais isento dos jornais brasileiros. 
À frente desse jornal estava, até ontem, Otávio Frias Filho. A Folha perde seu editor discreto, sério, inquieto, moderno. Nós leitores, perdemos o jornalista genial. E o Brasil perde um grande homem apaixonado por seu país, à frente do seu tempo, sem medo de fazer um jornalismo de qualidade.
Neste momento turbulento e instável que vivemos, OFF vai fazer muita falta.



Andrade


Fernando Haddad, o poste, já começa seu périplo pelas cidades do nordeste em busca de votos.
De cara já esbarra num grande problema. Os que conseguem identificá-lo o chamam de Fernando Andrade...
Ou seja, nem o nome certo do poste os eleitores sabem.


A garota de rosa é um choque!


Kim, toda trabalhada no rosa!

O vestido é de latex, o sapato é de plástico e o cabelo é peruca.
Já pensou esse modelito no calor????? 









22 de ago de 2018

Poltronas de Kilim


Sou apaixonada por elas!
Como são feitas de tapete, não são das dez mais confortáveis quando novas. Mas com o uso vão ficando cada dia mais lindas e gostosas.
Se não quiser usar o tapete, uma opção é usar o tecido com a estampa de kilim.
A Entreposto tem um lindo! 
Misture com couro ou camurça, use na sala de TV, escritório, varanda ou quarto.