27 de jun de 2019

Tudo à vista!


Livros, louças, tudo funcional e prático nesta sala.



Dupla dinâmica

E eu que pensei que Olavo de Carvalho tinha finalmente desistido de dar pitaco no país que não mora...
... doce ilusão. O astrólogo e guru está mais vivo do que nunca! 
Seu mais novo projeto tem até um partner, seu grande amigo e discípulo, Eduardo Bolsonaro.
Os dois estão empenhadíssimos em:
( ) salvar a Amazonia
( ) levar esgoto a 1/3 da população que não tem
( ) melhorar o ensino básico
( ) procurar medidas para alavancar a economia

Não. Nada disso. A dupla quer porque quer criminalizar o comunismo.
Isso mesmo. O país descendo ladeira abaixo e o astrólogo e seu fiel escudeiro querendo prender quem se diz comunista.



Botox/ O que você precisa saber




´´Você já deve ter ouvido alguém dizer que é contra a aplicação da toxina botulínica, por ficar artificial e sem expressão. 
Na verdade a função da toxina é deixar a pele mais bonita e jovem, sem rugas, de forma natural e harmônica. A aplicação deve ser sutil, para amenizar as rugas, abrir o olhar, arquear a sobrancelha, deixar o rosto mais fino, dentre outras indicações.
O fato é que quanto maior a quantidade de toxina utilizada, mais congelada fica a face e dura mais tempo. Ao passo que o "botox" mais natural, com menor quantidade de produto, apenas suaviza as rugas, e consequentemente, acaba mais rápido.
Antes da aplicação converse com o seu dermatologista, diga sobre as suas preferências, o que gosta ou não, para que o seu "botox" fique cada vez melhor.
A duração da toxina depende de cada paciente, mas dura em média de 4-6 meses.´´












Mood Board



Oscar de la Renta 2019



25 de jun de 2019

Black is beautiful










Eu quero!


Eu quero muito um casaco de leopardo!!!!
Acho tão charmoso!!!!!
Alguém aí sabe onde tem?























Amigo de todas as horas


Sim Bolsonaro tem um BFF para chamar de seu.
É Marco Feliciano. O deputado não precisa ser anunciado, não tem hora para aparecer, não precisa marcar hora, viaja sempre com o presidente e como prova de verdadeira amizade, Feliciano presenteou Bolsonaro com uma gravata verde e amarela!
Dizem que Feliciano quer ser vice de Jair em 2022...




Britânico

Blazer de Tweed. 
Está na hora de tirar o seu do closet!







Democracia em Vertigem

Democracia em Vertigem é um documentário obrigatório. Ame-o ou deixe-o, concorde com ele ou não, não importa. O que importa é que o filme é a nossa história.

Nos primeiros minutos a gente logo nota o viés tendencioso de esquerda. Mas depois a gente percebe que não poderia ser diferente. O longo não é só sobre uma parte da história do nosso país. É também a história da cineasta, jovem e talentosa, que teve a sua vida moldada entre pela luta política dos pais e a fortuna da família conquistada através da Andrade Gutierrez, construtora de seu avô materno.
Petra foi corajosa em não omitir nada. Mostrou tudo, incluindo aí sua dificuldade com esses dois opostos. Ela também não poupou ninguém. Dilma e Lula não foram endeusados, pelo contrário. 
Além de todo o conteúdo, o longa impressiona pela qualidade técnica, pela sensibilidade e pelo talento em mostrar com emoção e delicadeza a política suja do nosso país.

Não estou discutindo aqui se foi golpe, se não foi, se o Brasil é petista ou bolsonarista.
Estou simplesmente dizendo que, quer concordemos ou não com o ponto de vista de Petra, seu filme é lindo, bem feito, histórico.  E absolutamente necessário até para que possamos discordar dela.




18 de jun de 2019

Gloria Vanderbilt



Quando a pequena Gloria Laura Vanderbilt nasceu, seu futuro parecia cor de rosa. Ela era a única filha da bela Gloria Morgan Vanderbilt, uma linda atriz, nascida na Suiça,  de 17 anos, e do herdeiro das ferrovias e membro de uma das mais ricas e tradicionais famílias americanas, Reginald Vanderbilt, então com 48 anos. Além disso o rostinho perfeito da bebê  dava mostras de que a pequena Gloria seria um deslumbre. 
Mas nem tudo saiu como o esperado. Um ano após o nascimento da pequena Vanderbilt, seu pai morreu de cirrose em um hospital de NY, deixando a viúva Glória Morgan então com 18 anos, com uma filhinha que tinha uma herança bilionária.




O problema é que Gloria Morgan não estava preparada para tamanhas responsabilidades: nem ser mãe, nem ter tanto dinheiro.
Glória mudou-se com a baby Gloria para a Europa, onde vivia sua família, e caiu no mundo louco do high society irresponsável. Teve vários casos amorosos complicados, um deles incluía um romance gay com uma condessa russa. Gloria Mãe tinha como companheira de noitadas e festas  sua irmã gêmea, Thelma Morgan, que era amante do Duque de Windsor.
Entre festas, roupas, jóias, viagens e amantes caros, Gloria mãe gastava a herança da filha e a relegava aos cuidados de uma babá, que por mais dedicada que fosse, e ela era,  não conseguia suprir a falta da mãe. E assim, a pequena Gloria Vanderbilt, a herdeira de uma das maiores fortunas americanas, vivia sozinha em Paris com Dodo, a babá. 

Até que a tia de Gloria, Gertrude Vanderbilt Whitney, irmã de seu pai, entra na justiça e pede não só a guarda da pequena (Gloria tinha 5 anos), como também, que Gloria Mãe seja afastada do comando da herança da sobrinha. Gertrude, uma artista plástica que dividia seu tempo entre a família e a caridade, se preocupava com a sobrinha. Com o apoio do resto da poderosa família Vanderbilt, Gertrude alegava que a cunhada, exercia uma péssima  influência sobre a filha, não lhe dava atenção, além de estar dilapidando a herança da pequena. Mas Gloria mãe não iria largar o osso assim tão fácil. 
Estava armado o que foi chamado na época  de ´´o maior processo do século´´.


Foi travada uma verdadeira batalha nos tribunais americanos e europeus pelo controle de uma fortuna e o destino de uma pequena herdeira, que desde que nasceu era cuidada por uma babá. Tudo acompanhado com sofreguidão pela imprensa e pelo público. 
O juiz do caso tinha que controlar a audiência e a imprensa. O caso Vanderbilt X Whitney monopolizava os tabloides e as conversas (uma espécie de O J Simpson sofisticado). A pergunta que não queria calar era: ´´quem vai ficar com Gloria?´´. E com a sua fortuna, bien sur!



Enquanto dezenas de advogados se debatiam nas côrtes, a vida da Gloria Mãe era exposta para o mundo. Os escandalosos casos amorosos, as bebedeiras, as noitadas, os gastos descontrolados, a vida mundana. No meio do turbilhão do processo, uma foto da pequena  Vanderbilt andando de carrinho sozinha, com o olhar tristonho, tendo ao fundo a Torre Eiffel, praticamente definiu o caso: havia 3 meses que baby Gloria não via a mãe.

Meses depois, Gloria Morgan perdia não só a guarda da filha como também o acesso a todo e qualquer dinheiro vindo da herança de Reginald Vanderbilt.  



















Sem dinheiro e sem prestigio, Gloria Mãe teve que deixar a contragosto a vida de luxo e boemia e passou a morar na casa da irmã Thelma em NY (onde viveu até morrer de câncer aos 60 anos de idade). 


Enquanto isso, a pequena Gloria, já integrada à nova família da tia Gerturde, crescia linda, elegante e graciosa ao lado dos primos e da babá Dodo numa enorme casa na propriedade da família Vanderbilt em Road Island.  Gertrude tentou proteger Gloria da imprensa, mas era impossível. Até a ida da garota à missa era seguida por uma legião de flashs. 
Bem administrada pela tia e por vários tutores, a fortuna da menina crescia como ela. Aos 21 anos, Gloria era considerada uma das jovens mais ricas da América. E foi também aos 21, quando pode ter acesso a sua fortuna, que Gloria cortou a mesada que os tutores davam à mãe desde o final do processo. Gloria dizia que sua mãe era jovem, tinha saúde,  e podia muito bem trabalhar, como ela fazia. Nessa altura, a jovem Gloria já gostava de moda e despontava como uma socialite invejada e copiada pela juventude dourada de Nova York. Por mais que tia Gertrude a amasse e que Dodo cuidasse dela, a cicatriz da falta da mãe ainda aparecia as vezes. ´´Eu sabia que tinha ser forte. Mas eu também sabia que queria muito pertencer a minha mãe e queria que ela fosse minha´´. 











Gloria, que nesta época pouco ou nunca, via a mãe, era linda! Puxou a beleza de Gloria Mãe e a altivez e elegância dos Vanderbilt. A revista Town & Country escreveu em sua edição que a trazia  na capa ´´nunca haverá outra Gloria Vanderbilt´´.
Verdade.

Gloria era única! Estilosa até o último fio de cabelo, ela usava o que ninguém ousava. Numa época que todas as mulheres eram loiras, ela era morena. As mulheres pinçavam a sobrancelhas até virarem uma linha. Gloria usava a sua natural, cheia e bem feita. As mulheres queriam o corpo de uma pin up, volumoso. Gloria era um espeto! As mulheres usavam tailleur, Gloria usava caftans e vestidos armados. As mulheres usavam jóias delicadas e Gloria usava bijouterias enormes e diamantes de matar Sherazade de inveja. As mulheres queriam casar, tinham pânico do divórcio e ficavam em casa esperando o marido. Glória casou-se 4 vezes, trabalhava muito e tinha centenas de amigos. 
Com seu segundo  marido, ela teve o primeiro filho, Leopold Stowkovski. Gloria então parou tudo e se dedicou ao filho pequeno. Após o terceiro divórcio, Gloria teve um romance com Frank Sinatra que deu o que falar: a herdeira e o astro. Foram páginas e páginas de jornais sobre o affair.
Sinatra foi o caso mais famoso, mas Gloria também se envolveu com Marlon Brando e Howard Hughes.
Dizem que o filme Bonequinha de Luxo foi inspirado em Gloria.
Pode ser que sim. Mas o fato é que Gloria nunca foi uma bonequinha de luxo. Era, na sua essência, uma mulher de fibra, livre. Quase uma feminista: ´´ Eu sempre acreditei que uma mulher de sucesso pode ajudar outras mulheres a terem sucesso´´.









Em 1963 ela se casou pela quarta vez com o ´´amor da minha vida´´, Whyatt Coopper, com quem teve 2 filhos, Andersson e Carter. A vida em família era feliz e amorosa. O casal vivia em NY mas viajava o mundo todo e os garotos eram lindos.  A felicidade da família Coopper durou até 1978, quando Whyatt, depois de uma delicada cirurgia no coração, morreu. Gloria então passou a se dedicar aos filhos pequenos e ao trabalho.
Usou todo o seu bom gosto, talento e disciplina e lançou uma linha de perfumes com a L´Oreal, uma linha de papel de carta com a Hallmark e uma uma linha de jeans que foi um sucesso estrondoso. Gloria então passou a ser conhecida como a ´´rainha do jeans´´. As campanhas da marca Gloria Vanderbilt eram estreladas pelas principais tops do mundo e estavam em todas as lojas do planeta. Eu mesma tinha um jeans Gloria Vanderbilt, acreditam? 































E na vida pessoal, viúva e ainda linda e vigorosa,  Gloria encanta-se com o fotógrafo famoso e ídolo americano,  Gordon Parks. Gordon, um negro altivo, elegante e intelectual, apresentou a Gloria o mundo das artes, da literatura, da política  e do ativismo social. Um mundo que ela adorou e do qual nunca mais saiu.

Mas quando tudo parecia ir bem, eis que Gloria descobre que seu sócio e seus advogados deixaram de pagar os impostos devidos e lhe deram um rombo de milhões de dólares. Gloria voltava às barras dos tribunais. Desta vez, para defender seu patrimônio e sua empresa. O processo foi lento e quando acabou, sua empresa a GV Ltda estava quase quebrada. Gloria teve que vender suas propriedades em South Hamptons e em NY para quitar a dívida com o Fisco americano. Mas o sangue dos Vanderbilt ainda corria nas veias dela e em poucos anos Gloria recupera parte do patrimônio emprestando seu nome para cosméticos, perfumes e acessórios de moda, além de fazer bons investimentos. Era o nome Vanderbilt, desbravadores da América, falando mais alto.
Então, em 1988 veio o derradeiro golpe. Seu filho caçula, Cooper, pula da janela de seu apartamento em NY, na 10th Avenue, e morre aos 23 anos de idade.

Gloria ficou inconsolável. Para ela que foi forçada tão cedo a viver longe da mãe, ter filhos e poder cuidar deles era tudo o que ela mais amava. Foi preciso o tempo, o apoio dos bons amigos (Diane von Furstemberg, Ralph Lauren, etc), da família  e uma enorme coragem para levantá-la. Mas ela, mais uma vez, conseguiu. Voltou ao trabalho, aos seus eventos de caridade, a frequentar a ópera e o teatro, sempre ao lado do seu companheiro Gordon Parks e de seu filho Andersson, que  se tornara então, um famoso apresentador de TV. Uma espécie de Willian Bonner do Tio Sam.













Há alguns anos atrás, todo a vida de dramas e glamour de Gloria voltou às manchetes quando um livro e um filme sobre a sua vida foram lançados e quando seu filho Andersson, numa atitude corajosa e totalmente apoiada pela mãe, se declarou gay. Andersson se tornou então,  o primeiro apresentador de jornalismo a admitir sua orientação sexual com firmeza. Gloria não saiu do lado do filho.












Gloria morreu hoje, aos 95 anos. Ainda era uma mulher altiva, elegante e cheia de personalidade.
Uma exposição de suas criações está sendo preparada numa galeria em NY. Gloria, que perdeu seu companheiro Gordon em 2006, supervisionou tudo pessoalmente.  Até o ano passado, ela ainda viajava para divulgar o livro que  escreveu junto com o filho, Andrsson. 
Não é a toa que uma de suas frases favoritas é de Oscar Wilde:


´´Viver é a coisa mais rara do mundo. Na maioria das vezes, as pessoas apenas existem´´.
















12 de jun de 2019

Eu faço assim


Gwyneth Paltrow está mostrando ao mundo que é preciso criar suas próprias regras para ter bons relacionamentos.
Primeiro foi a convivência amigável e quase inseparável com seu ex-marido, Cris Martin. Depois, foi ter proporcionado a amizade entre Cris e Brad, seu atual marido. Os dois se encontram com frequência na casa de Gwyn e se dão muito bem. 
Para completar, ela gosta muito da atual namorada de Cris, Dakota Johnson, e faz questão de mostra em público que ela é a ´´escolhida´´, coisa que ela não fez quando com Jennifer Lawrence.

Em sua lua de mel, Gwyn ficou uma semana com o marido e depois, não teve dúvida, convidou o ex, a namorada do ex e a filharada de todo mundo para uns dias nas Maldivas! Isso mesmo, tudo junto e misturado!
E para coroar, Gwyn disse em uma entrevista esta semana que não mora junto com o ex marido, nem vai! Ela passa 4 dias por semana na casa dele e só. Segundo ela, viver assim, com suas próprias regras, é o que faz com que todos convivam bem. ´´Seguir normas antiquadas, se submeter a convenções não faz com que nenhuma família viva bem. Cada família, ou casal, deveria fazer suas próprias regras e muda-las sempre que não servirem mais. Eu faço assim´´
Tá certíssima, Gwyn!






11 de jun de 2019

Clássico do inverno


Tenho paixão por golas de pele!
Desde os anos 30, quando as mulheres usavam as golas com seus vestidos vaporosos, até os dias mais frios de hoje, as golas continuam enfeitando o pescoço feminino.
E são eternas.

Escolha 1 ou 2  para usar o inverno todo e por toda a vida.