Commemorare

24 de out de 2011

Gallé


 Emille Gallé se inspirou nos jardins da pequena cidade de Nancy, França, onde nasceu, e nas aquarelas de seu pai, um vitralista e pintor, dono de um atelier onde se encomendava os mais belos vidros soprados e madeiras machetadas de toda França.
Hoje, os vasos Gallé em patê de verre são o que há de mais belo em antiguidade. 










Os vasos e abatjours de Gallé autênticos custam uma pequena fortuna, mas são eternos e passam de geração em geração.  






Nos bons antiquários de São Paulo existem belas peças à venda, mas é preciso comprar assim que encontrar, porque a paulistada adora e paga caro para tê-los.







Quem gosta, coleciona e perde o ar quando vê um Gallé raro. 

Depois da chinoiseries, os Gallés são meus objetos de decoração favoritos. Não que eu não goste dos Muranos, mas acho que não se comparam com a tradição e a beleza dos Gallés.





4 comentários:

Clo disse...

Amo de paixao!!!

flavinha disse...

eu PRECISO!!!

Anônimo disse...

Não entendo nada de arte, minha casa é bem simples, mas nunca vi nada tào maravilhoso!!!! Que coisa mais linda !!

Anônimo disse...

I'm curious to find out what blog platform you have been utilizing? I'm havіng ѕome small securitу iѕsues with my
lateѕt sitе and Ӏ'd like to find something more secure. Do you have any suggestions?
Feel free to surf my homepage ... www.allplan-usa.com