Tahari. Pampulha e Belvedere

Tahari. Pampulha e Belvedere

11 de jun de 2018

60


Eu ainda estou nos 50, mas o livro da Roberta Zampetti já foi um presente adiantado para quando os 60 chegarem. Ainda estou no começo dele, mas já dá pra perceber que Roberta escreve com o mesmo talento que a consagrou na TV.
Robeta pegou um tema que embora seja tão atual e importante, é tratado com um certo preconceito, como se falar de velhice fosse feio e desnecessário. Bobagem. Se não envelhecermos será pior, aí teremos que falar da morte. Se é que vocês entendem... 
O fato de que a população está envelhecendo e com as diversas questões em torno do tema, o livro trata de forma leve e bem-humorada da importância da perseverança, determinação e atitude positiva após os 60 anos e de como lidar com essa evolução que provoca - além das significativas mudanças pessoais - transformações nas rotinas das famílias e das cidades, que influencia diretamente a economia, assim como a forma como lidamos com a vida e também com a morte? E para quem chega à velhice, como transformar essa mutação natural em uma experiência prazerosa? Roberta não tem todas as respostas mas tem a sua experiência própria. E como dizem os filósofos, nada supera o conhecimento de quem já viveu.
Na minha lista dos livros necessários.



Nenhum comentário: