Marília Peres Cakes

20 de abr de 2018

As belezas ao nosso redor/ Bom programa



´´Quando não exploramos as belezas que temos ao nosso redor, corremos o risco de nos tornarmos estrangeiro em nosso próprio país´´.


Então vamos para São Paulo! A São Paulo efervescente de cultura, arte e boa gastronomia.
Esqueça o shopping e os restaurantes modinha! O negócio é respirar o ar da Paulista, entrar nos museus e comer em boa companhia.

Começando pela SP Arte, o maior evento do segmento da América Latina. Este ano, especialmente, Fernanda Feitosa e sua equipe brilharam. Organizada e surpreendente, a mostra trouxe o que há de melhor entre as grandes galerias. Não sou fã de arte contemporânea. Pelo contrário. Com poucas exceções tenho muita dificuldade em gostar, porque arte contemporânea tem que vir com manual de instrução, tipo ´´abra aqui, olhe por ali, entenda assim´´. Não gosto. Arte não tem que ter explicação. Arte é emoção. 
Minha paixão mesmo são os modernistas! Perco o ar diante de um Guignard, Portinari, Pancetti, Di, Cícero Dias. Os desenhos de Lasar Segall estavam de cortar os pulsos. No andar de baixo do Pavilhão da Bienal - que também é uma obra de arte - gravuras, desenhos e os novos talentos. E no último andar, outra de minhas paixões: os antiquários! Especialmente o Sandra e Márcio, meus parceiros em todos os projetos e meus amigos de sempre.
Depois da mostra, jantar no Tanit, de comida espanhola, com direito a baldes e baldes de sangria, mexilhões, e um bom e divertido papo! 


















































São Paulo tem a Paulista e na Paulista tem o Instituto Moreira Salles com suas descoladíssimas e preciosas exposições. A de Chichico Alckmim está imperdível. Mineiro de Diamantina, Chichico retratou com seu olhar apurado, seu enquadramento e sensibilidade, a vida e a morte de uma comunidade inteira. As obras fazem parte do acervo do Instituto e são puro deleite.

Mais á frente, aparece o imponente Masp e dentro dele, Aleijadinho. 
As obras do mestre do barroco no museu da mestre do moderno.
Imperdível.




















São Paulo e a música. 

Só a Sala São Paulo já enche os olhos. Um verdadeiro deslumbre.  Com a Osesp tocando, então, é de encher de orgulho os paulistanos.  Não dá para não se emocionar.
Saindo de lá, nada mais paulista do que o tradicionalíssimo La Casserole, situado no coração do Centro da cidade. Comida divina e a história por todos os lados. Boa mesa pede bom papo e eu tive as melhores companhias do mundo. A noite ficou curta para tanto assunto.







































































3 comentários:

Anônimo disse...

Programinha over 50 years!

Anônimo disse...

Andou pelos Jardins, Kika ? Todos os dias, ao meio-dia o esgoto corre a céu aberto pela outrora e emblemática Rua Augusta. Toda semana ali pelas redondezas tem um botequim sendo aberto, e os bons restaurantes sendo fechados ou resistindo sabe lá como. Uma esquina já ocupada por lojas famosérrimas hoje comporta shopping com lojas em mini box de comércio bem popular. O perfil do bairro mudou porque aquela cidade, artística e economicamente, pungente, já era. Mudou. Pra Miami ou pra Suiça.

Anônimo disse...

Quanta coisa você fez em SP. Programa delícia... Fiquei com inveja