Villa Maria

7 de mar de 2018

Rebecca


Rebecca e sua sombra nefasta pairaram sobre o Clube do Filme deste mês.

Rebecca, a Mulher Inesquecível, não está na lista dos grandes filmes de Alfred Hitchcock, ao lado de Janela Indiscreta e Psicose, o que é uma pena.
Longo e em preto e branco, Rebecca não é um filme fácil. Com personagens intensos e atormentados, Hitchcok  mostra como é possível - e terrível - viver à sombra de alguém. 
Gênio é gênio, e Hitch é um gênio. É incrível como uma personagem que não existe começa a tomar forma na nossa imaginação apenas com o que falam dela. No final do filme eu conseguia imaginar até o perfume que ela usava, sua gargalhada e seus vestidos... 
Na tela, Rebecca  é  a falecida esposa do milionário Maxin de Winter,  mas na vida real Rebecca pode significar muitas pessoas: amigos, parentes, irmãos, maridos, esposas, ex-esposas, ex-maridos, madrastas.... Pessoas que estão sempre pairando como uma nuvem negra, dominando, sufocando, controlando e impedindo qualquer chance de felicidade. 



E para competir com a magnífica fantasma da tela, ainda bem que  existem as cadeiras confortáveis do Cineart Ponteio, pipoca, refrigerante, champagne geladinha, boas companhias, comidinhas gostosas e ...o Ancelmo, para nos explicar a complexa construção do significado desta mulher, cena após cena. O que torna a experiência do nosso Clube um prazer. Com fantasma ou sem fantasma.
































Nenhum comentário: