AbatjourdeArte

5 de jun de 2017

Desprezo


Neste fim de semana, Bruno Gagliasso e sua mulher, Giovanna, demonstraram com firmeza o que pensam de Jair Bolsonaro.
O casal de atores - que tem uma filha fofa, Titi, adotada no Malaui - estava se divertindo feliz da vida, no evento de UFC, quando o deputado Jair Bolsonaro, o Louco, sentou-se  na plateia.

Bruno e Giovanna ao verem Bolsonaro, se levantaram e foram embora. Bruno postou em suas redes sociais que preferia ver a luta em casa a frequentar o mesmo ambiente que Bolsonaro.

Jair Bolsonaro já declarou em alto em bom som, o que ele pensar de negros e gays.

Prometi a mim mesma que jamais daria espaço para um imbecil como Bolsonaro ou perderia meu tempo  com um homem que não merece nem ter o nome mencionado. Mas tive que postar este caso, como forma de apoio ao casal Gagliasso. 

Que os olhinhos inocentes e doces de Titi jamais precisem ver, nem ouvir, pessoas dignas de desprezo como Jair Bolsonaro.













7 comentários:

Anônimo disse...


DESPREZO NÃO, INJUSTIÇA!
Jura, Kika, que isso é toda verdade?!!!
O sogro de Bolsonaro é negro, tá na web pra quem quiser ver. Nunca o vi se manifestar contra negros, você já? Ele se diz contra o ativismo gay. Não contra gays... é diferente! NÃO PODE ter essa opinião ou postura, mais conservadora?! Vota nele quem quiser... Porque até agora não vimos partir dele nenhuma AÇÃO homofóbica, ou racista, ou intolerante de qualquer forma. AGIR é muuuiiiito diferente de PENSAR (LIVRE-PENSAR). Ele não cuspiu e nem afrontou saindo do recinto, como esse casal Brajolie. Trabalhador exigente, dos poucos que os delatores declaram não ter recebido propina, caixa 2, escambal...
Por enquanto os FATOS que temos são estes, não?! Eu, se fosse ele, agora cuspiria na cara de todo mundo que me chateasse no plenário, porque a câmara disse que NÃO TEM PROBLEMA...

Anônimo disse...

Olá Kika,
Confesso que esta notícia me deixou dividida.
Por um lado a atitude do casal foi uma forma de se posicionar contra o deputado e tudo que ele representa, mas por outro lado, será que não devemos aprender a conviver com todos, mesmo aqueles dos quais discordamos? será que não devemos aprender a dividir o mesmo espaço com pessoas que pensam de forma diferente da nossa?
Valéria

Ruth disse...

Esse comentário sobre gays e negros não foi feito por Bolsonaro. Foi um mal entendido em programa de televisão, com a participação de Preta Gil.

O Bolsonaro tem milhões de fãs gays e negros, e nunca discriminou ninguém. Ele apenas não concorda com o ativismo gay, que quer subjugar toda a sociedade para que prevaleçam seus interesses de minoria militante.

No meu entender, esse Bruno é um menino mimado e xiliquento que não tem a menor tolerância com os outros. O que ele fez foi muito feio.

Acho que você deveria rever a sua posição. O Bolsonaro é odiado pelas esquerdas, que praticam com ele um verdadeiro assassinato de reputação.

Ah, sim, eu não voto nele, mas o respeito como representante de significativa parcela da população brasileira.

ruth disse...

Kika,

O BOlsonaro nunca fez comentário sobre gay e negro. Esse que você citou foi um mal entendido em um programa de televisão com a Preta Gil, e já foi esclarecido.

O Bolsonaro tem milhões de fãs negros e gays, nunca discriminou ninguém.

Esse Bruno Gagliasso é um menino mimado xiliquento, que não sabe respeitar os outros, mas exige que o respeitem.

Acho que vc tb deveria mudar de idéia, ou pelo menos se retratar do que falou, pq vc sempre é muito elegante e não costuma ter discurso de ódio, como fez nesse post.

Ah, eu nao voto nele, mas respeito porque ele representa uma parcela significativa da sociedade.

Abraço!

ruth disse...

Kika,

O BOlsonaro nunca fez comentário sobre gay e negro. Esse que você citou foi um mal entendido em um programa de televisão com a Preta Gil, e já foi esclarecido.

O Bolsonaro tem milhões de fãs negros e gays, nunca discriminou ninguém.

Esse Bruno Gagliasso é um menino mimado xiliquento, que não sabe respeitar os outros, mas exige que o respeitem.

Acho que vc tb deveria mudar de idéia, ou pelo menos se retratar do que falou, pq vc sempre é muito elegante e não costuma ter discurso de ódio, como fez nesse post.

Ah, eu nao voto nele, mas respeito porque ele representa uma parcela significativa da sociedade.

Abraço!

Anônimo disse...

Eu acredito muito no diálogo, mas acho que quando a pessoa fala que “o Bolsonaro nunca fez comentário sobre e gay e negro”, tem uma barreira aí que é difícil ultrapassar. Provavelmente o próprio Bolsonaro falaria: “opa, não é bem assim, eu continuo acreditando que ter filho gay é falta de porrada!”
Esse não deve ser o Bolsonaro que eu conheço, que é homofóbico (“virar” gay é falta de porrada), misógino (não vou te estuprar, porque você não merece; vagabunda), racista (comentário sobre índios e quilombolas na sede da Hebraica), contra os direitos humanos (acho que quem o defende também acha que direitos humanos é “coisa de esquerda”, então nem vou perder tempo...) e a favor da ditadura militar (saudação ao “grande” torturado Coronel Brilhante Ustra quanto foi votar pelo impeachment; erro da ditadura foi torturar e não matar. Mas parece que os livros de história pelos quais eu estudei, antes do Lula, é bom ressaltar(!), estavam todos errados...).

Kika Gontijo disse...

Anônimos queridos,
normalmente adoro uma boa polêmica, uma discussão inteligente sobre pontos de vistas diferentes. Mas neste caso, concordo Ipsis Litteris com o anônimo último: não há o que discutir. Aliás, Anônimo último, você me representa!
Me desculpe, Ruth, mas Jair Bolsonaro é sim um preconceituoso, que tem ódio a qualquer tipo de minoria, que tem aversão aos gays e negros, que faz apologia da violência gratuita, que despreza tudo e todos que vão de encontro aos seus valores machistas, ultrapassados e estúpidos. Nasci sob a ditadura, cara Ruth. Minha família é de artistas e intelectuais. Não posso tolerar que um parlamentar se levante e grite o nome de Brilhante Ulstra. Tenho grandes amigos gays e negros, querida Ruth. Portanto não posso admitir que um cidadão em uma palestra pública, diga horrores sobre qualquer tipo de minoria.
Sou absolutamente intolerante quando se trata da liberdade individual, da tolerância com as diferenças, do respeito às instituições, da compaixão com o próximo.
Jair Bolsonaro representa tudo o que eu mais abomino e desprezo. E a atitude de Bruno e Giovanna não foi de falta de respeito, absolutamente!!! Falta de respeito é o que Bolsonaro fala. Bruno e Giovanna usaram a liberdade (que Bolsonaro condena), para se manifestar com elegância: levantaram-se e foram embora. Não gritaram, não bateram, não xingaram.
E quanto a Jair Bolsonaro representar uma boa parte da sociedade, você tem toda razão! E acho lamentável que um sujeito como ele ainda encontre respaldo em pleno século XXI.
E, cara Ruth, recomendo que você veja e ouça o discurso de Bolsonaro na Hebraica, em São Paulo, onde ele fala o que pensa dos negros.
Beijos carinhosos da intolerante quando se trata de Bolsonaro, Kika Gontijo