Doux Jóias

22 de mar de 2017

Trump e os Jovens







´´A vitória de Donald Trump foi amplamente atribuída à “maioria silenciosa”, à classe rural do meio-oeste americano, os famosos “red-necks”. Porém, uma foto que marcou as eleições retrata uma outra demografia: garotos jovens, vestindo bonés com o slogan de Trump, “Make America Great Again”, reunidos no hotel Hilton em Nova Iorque, comemorando a vitória de seu candidato.

Pessoalmente, tive poucos encontros com jovens fãs de Trump. Durante as eleições primárias, eu estava sentada, com duas amigas, em uma cafeteria no prédio de cinema da minha faculdade, em Nova Iorque (estereótipos se aplicam). Um garoto de uma fraternidade veio nos cumprimentar e nos estranhamos com sua presença ali (novamente, estereótipos se aplicam — ele usava shorts com bordados de pequenas lagostas azuis e óculos escuros). Ele respondeu à nossa surpresa: “É… Estudo cinema, mas sou membro de uma fraternidade, escuto música country, e apoio Donald Trump.” Trocamos olhares em silêncio, entre nós uma feminista ardente estudante de filosofia e uma filha de dois imigrantes etíopes. Ele deu uma risada desconfortável e nós voltamos para nossos computadores. Ele se parece com os jovens da foto.

Os outros “Trump supporters” na minha rede se encaixam no mesmo padrão. Entre eles, há mais mulheres do que eu esperava. Enquanto isso, os que o opõem, são de diferentes raças e nacionalidades (a objeção a Trump não se limita aos meus amigos Americanos), apesar de que uma maioria LGBT se destaca. É uma observação interessante, mas não surpreendente.

No dia seguinte às eleições, as ruas de Nova-Iorque estavam cheias. Protestos pacíficos e não-tão-pacíficos ocuparam a cidade. Uma foto do New York Times mostra colegas minhas sentadas na praça ao centro do campus da nossa universidade. Nas redes sociais, só vi raiva, tristeza, e insatisfação (confesso que excluí um pequeno número de pessoas que compartilhavam vídeos de apoio a Trump nos meses anteriores às eleições).

Hoje, a maioria dos jovens é contra a presidência Trump. Os que argumentaram por dar a ele “o benefício da dúvida”, se acanharam depois de certas nomeações e das ordens executivas. Hoje, menos jovens são indiferentes à política, mesmo que muitos se atenham apenas ao “ativismo do Facebook”, muitos estão se informando mais, e muitos estão participando de protestos e manifestações (muitos amigos participaram da Marcha das Mulheres em Janeiro). Hoje, Donald Trump tem a taxa de aprovação mais baixa de todos os novos presidentes da história dos Estados Unidos.´´












3 comentários:

Adriana disse...

Muito bem posto !
Tenho o mesmo pensamento, ele é impopular, um louco desvairado, mal educado, mal ajambrado.....

TEREZA CRISTINA QUEIROZ disse...

Sinceramente torço para muita coisa útil e eficaz dar certo neste "Make América Great Again".
Do contrário, o que esperar de um louco, destemperado presidindo a maior potência mundial?
O mundo todo, parece, está estupefato! E temeroso!

TEREZA CRISTINA QUEIROZ disse...

Sinceramente torço para muita coisa útil e eficaz dar certo neste "Make America Great Again ".
Do contrário, o que esperar de um louco, destemperado presidindo a maior potência mundial?
O mundo todo, parece, está estupefato! E temeroso!