AbatjourdeArte

1 de jan de 2017

Kika e o reveillon

Sabem queridos, não ligo muito para o Reveillon. Não é uma data que me emociona como o natal, por exemplo, ou a Pascoa. Não gosto da confusão da festa, de ficar até tarde bebendo (não bebo então, não sou boa companhia), de ter que fazer todas as listas do que não fiz no ano que passou.
E para ser bem sincera, eu (como boa pragmática) acho que o sol nasce no dia seguinte do mesmo jeito, os carros buzinam da mesma maneira, sua casa está do mesmo jeito no dia 1 e, ao menos que você tome uma decisão radical na madrugada do dia 31, seus problemas continuarão lá da mesma maneira. A única diferença é que no talão de cheques você escreve 2017, sua agenda FiloFax muda o refil e você está de férias ainda. Ah,  e geralmente você amanhece numa ressaca federal de tanta champagne.
Mas, este ano de 2016 não foi um ano fácil para ninguém. Pelo contrário. Foi um ano duro, de muitas decepções para alguns, dificuldades financeiras para outros. E ainda teve a política que nos tirou o sossego e nos levou para a rua.
Porém, também acho que foi um ano de muito aprendizado. De saber que temos amigos de verdade ( e de ver de perto os que não o são), de saber que temos uma família e que embora possa ser imperfeita é ela que te estende a mão. De aprendermos a  moderar os gastos e vivermos com mais pé no chão. De nos interessarmos pela política. De descobrir prazer nas coisas simples. De saber que podemos ser criativos no trabalho e que quando o somos, um mundo de possibilidade de abre. De não nos acomodarmos, de nos indignarmos com as falcatruas, de sermos solidários com o próximo.
´´O ser humano só cresce na dificuldade´´, já dizia Platão há milhares de anos atrás.
E é verdade. Que bom que 2016 tenha sido um ano de aprendizado. E que bom que ele já vai passar.
Que 2017 seja um ano de usarmos as lições para realizarmos nossos sonhos!!!!
Um feliz ano novo  para todos vocês e que continuemos juntos nos próximos anos!!!!






Um comentário:

Anônimo disse...

Kika, Feliz 2017 para você! Se depender de mim, estarei sempre por aqui. De sua seguidora de Belém-Pa