15 de jan de 2019

O Papa e Mussolini

Eles só se encontraram uma única vez.
Mas o vínculo entre eles fomentou uma guerra, matou milhares de inocentes, custou caro à igreja, transformou a face da Europa e fez com que aos olhos do mundo os italianos fossem chamados por décadas de ´´os ajudantes de Hitler´´.

O Papa e Mussolini não é um livro fácil, nem gostoso de ler, mas na minha opinião é obrigatório para quem quer conhecer a história da humanidade.
Os dois ditadores, cada um no seu palácio, criaram uma relação macabra onde Mussolini dava regalias à igreja e o Papa dava lastro ao governo sangrento do ditador.  Junto com a história, os bastidores do poder também são  mostrados de forma detalhada e documentada: as amantes, - e Os amantes -  os escândalos abafados, a corrupção, os luxos, os interesses pessoais e o descaso completo com o povo. 
 ´´Os que não conhecem o passado, estão fadados a repeti-lo´´.
O Papa e Mussolini é uma aula sobre o que ditadores - estejam eles na igreja ou num palácio - são capazes de fazer a uma nação.





5 comentários:

Walter Arruda disse...

Kika, leia a encíclica do próprio Papa Pio XI "Non Abbiamo bisogno " na qual condena o fascismo italiano. O seu conteúdo traz uma mensagem fortemente anti-fascista. Chamar o Papa Pio XI de ditador é pura insensatez. Francamente...

Walter Arruda disse...

Quando o Papa Pio XI se "aliou" a Mussolne, não foi para promover o fascismo e sim para combater o comunismo.

Kika Gontijo disse...

Walter, querido,
Embora o Papa tenho escrito vários textos condenando o fascismo, seu papel durante a Segunda Guerra foi horrível. Seu silêncio custou milhares de vidas e sua postura ajudou a criar dentro da própria igreja, o que há de pior nela. Seus interesses pessoias, estavam acima dos interesses do povo, fato mostrado e comprovado no livro.Entre escrever e agir, forma os seus atos que ficaram para a história. A encíclica é só um papel.

Kika Gontijo disse...

Esse é o seu ponto de vista. Mas não é o dos grandes historiadores. Não se pode querer combater um regime cruel, dando apoio a outro regime tão cruel quanto. Além de apoiar Mussolini, Pio XI o fez para defender não a igreja e suas ovelhas, mas sim seus interesses pessoais de poder.
Você leu o livro? Então leia e me diga se não vais olbar o Papa com outros olhos.

Anônimo disse...

QUERIDA KIKA, RECOMENDO A LEITURA DO LIVRO " O PAPA CONTRA HITLER", de autoria de Mark Riebling e Carlos Szlak.
Leitura indispensável para quem deseja conhecer os bastidores da 2a. Guerra Mundial.
O PAPA PIO XII estava acuado, na iminência de ser preso a qualquer momento por Hitler e aliados.
A igreja trabalhou, e muito, para salvar vidas.
Depois me fale.