17 de mai de 2017

Não Me Deixem Virar Um Clone!



Não Me Abandome Jamais ... que título não?! Dá vontade de ler na hora, não é verdade?
Ainda mais quando sabemos que se trata de uma história que tem amor, abandono, lágrimas, sexo, duas mulheres e um homem...
Ah, que livro! Devem ter pensado vocês.
Tudo seria maravilhoso se no meio disso tudo não aparecessem clones! Isso mesmo! Clones! Seres humanos feitos em laboratório que circulam por aí como se fossem um de nós.
Pois foi essa mistura de drama com ficção científica que tivemos que debater no nosso último Clube.
Dizem que os japoneses vêem a vida de outro jeito, já que estão do outro lado do mundo. Depois deste livro, concordo plenamente. O autor Kazuo Ishiguro contou em seu livro uma história tão implausível - para os céticos- quanto bela. Por isso, o livro dividiu tantas opiniões. 
A minha foi a que não fosse esse livro não tivesse sido indicado pela minha amiga brilhante Ana Maria Ribeiro, eu diria que foi uma ´´pegadinha´´. Porque há muito não lia nada tão estranho.











Mas não ouçam minha crítica, queridos, porque como sou uma pessoa pragmática, não consegui entender Não Me Abandone Jamais. Não acredito em clones, nem em ETs, nem em Mula Sem Cabeça, então o livro, para mim, não passou de uma ficção científica de boa qualidade, mas sem nenhuma emoção. Gosto mesmo é de gente de verdade e suas histórias mirabolantes!
Mas para outros membros do Clube e para os críticos em geral (que sabem infinitamente mais do que eu), o livro é uma obra prima! 











Como  não somos clones e pensamos, nossa discussão foi simplesmente enriquecedora.
        Ouvir uma opinião totalmente diferente da sua, sobre um mesmo assunto é ao mesmo tempo maravilhoso e estranho. ´´Será que li o mesmo livro?´´, ´´Será que penso tãooooo fora da caixinha?´´














Nossas opiniões divergem porque não somos como Tommy e Kathy, graças a Deus! 
Temos liberdade para pensar, falar e discutir sobre a vida, o amor, o sexo, a morte. E porque pensamos, podemos também mudar de opinião. E podemos também experimentar um jantar delicioso, saborear um vinho divino e conversar com pessoas interessantes! E podemos também fazer comprinhas na Quermesse do Clube (Samaritana levou produtinhos maravilhosos direto da fazenda de Santana !!!!).
Como diria Cecilia Meireles, ao longo da vida aprendemos que conviver com quem nos instiga é o verdadeiro aprendizado. Obrigada, meus queridos membros deste Clube por não deixarem eu me transformar num clone!

























Nenhum comentário: