Aparecida Jóias

16 de mar de 2017

Uma casa

Por causa da minha profissão, vejo casas todos os dias.
Algumas eu adoro, outras eu gosto menos. Outras me dão vontade de ficar, outras me dão vontade de ir embora rapidinho.

 Embora eu seja decoradora, ou talvez até por isso, tenho a convicção que um bom trabalho é o que deixa a casa do cliente a cara dele, com suas peças queridas, suas histórias, seus móveis favoritos.
Tenho preferências por casas aconchegantes, gostosas, com boas peças clássicas, tapetes, cor, flores naturais, livros, vasos, quadros. 

E gosto de casas ´´sem esforço´´. Aquelas casas onde você pode chegar para um café, que a bandeja tá na mão. Que sempre tem flores, mesmo que seja uma violetinha singela. Casas onde a  louça é tirada de um armário na sala e não de caixas e plásticos debaixo da cama. Gosto de casas onde a comidinha é feita lá mesmo, com capricho e alegria. Gosto de casas que tem abatjour e janelas.

Semana passada fui lanchar em uma casa assim. Uma casa cheia de vida e história, onde a dona nos recebe com carinho e prazer, sem salamaleques, nem pompa. 
Uma casa onde a gente entra e não quer sair.
Obrigada, tia Lucíola!!! Estava tudo perfeito!
























2 comentários:

Marinez disse...

Oi Kika , tudo lindo! De onde é. Esse galo encima da mesa? Adoro! Bjim

Anônimo disse...

Kika, concordo com você... A casa tem que ter a personalidade do dono...
Porém eu, como arquiteta, por mais que me esforce, tenho encontrado grande dificuldade de colocar isso em prática com os meus clientes...
Na era do instagram, todos já chegam no meu escritório com fotos do que querem, quase exigindo que praticamente eu faça uma cópia adaptada para o tamanho dos ambientes que possuem... Isso quando não misturam estilos que não tem nada a ver, juntando duas fotos diferentes...
E acho que não estou sozinha, pois basta ver nesses "instagrans" mais famosos, como os apartamentos do Belvedere estão todos iguais...Parece que estão todos copiando...